Não consigo perder peso!

Quando estamos estressados, as glândulas adrenais produzem um hormônio chamado cortisol. Esse hormônio é produzido também quando levamos um susto ou nos sentimos ameaçados de alguma forma. Ele literalmente prepara o corpo para agir.

Ele apresenta a função de estimular o sistema nervoso simpático. A quantidade de glicose no sangue se eleva de modo a fornecer mais energia aos nossos músculos em caso de ser necessário escapar de algum perigo. De modo semelhante, a pressão arterial também aumenta com a  finalidade de prover mais sangue aos músculos em caso de uma eventual fuga.

Imaginem que existe uma tendência genética ao sobrepeso/obesidade. Associe isso a hábitos alimentares desequilibrados, hipercalóricos e ao sedentarismo. Além disso, o indivíduo sob estresse, libera frequentemente cortisol e vive constantemente com níveis acima do normal, gerando uma disfunção ou fadiga da glândula adrenal.

Como isso gera o ganho de peso ou à incapacidade de perder o peso desejado? O estresse diário gera uma superestimulação crônica do cortisol, gerando excesso de glicose sanguíneo e desequilíbrios hormonais que tornam impossível a queima de gordura! Em vez disso, o cortisol pode mobilizar mais acúmulo de triglicerídeos (gorduras) nas células adiposas viscerais. Infelizmente, as células de gordura viscerais têm mais receptores de cortisol do que a gordura subcutânea, exacerbando o problema.

Altos níveis de açúcar no sangue, causados ​​pelo cortisol elevado cronicamente, aumentam a resistência à insulina. Essa é uma das razões pelas quais os diabéticos têm tanta dificuldade para perder peso.

O cortisol também aumenta os níveis de inflamação no corpo e a inflamação sozinha pode causar retenção de líquido e sudorese excessiva.

Por que quando estamos ansiosos ou estressados desejamos comer muitos docinhos e salgadinhos hiper calóricos?   Parece que o cortisol pode influenciar diretamente nossos desejos por se ligar a receptores em uma área do cérebro chamada hipotálamo, comunicando-se quimicamente com outros hormônios e fatores de estresse. Tudo isso junto pode influenciar o aumento incontrolável do apetite.

Por isso, além de uma alimentação saudável, da prática de atividades físicas, é FUNDAMENTAL, o controle do estresse. Equilibrar emoções, apoio psicoterapêutico, Yoga e Meditação são aliados VALIOSOS para todos nós, principalmente no reequilíbrio da glândula adrenal.

Lembre-se de que os exames não resolvem o problema nem te tratam. O tratamento envolve um conjunto de fatores e pode ser mais fácil se você conseguir motivação e apoio de profissionais de saúde bem orientados. Converse com seu médico!

Referências:

1-Bioquímica Ilustrada – 5ª Ed. Champe,Pamela C.; Harvey,Richard A.; Ferrier,Denise R., Ph.D;

2-Lehninger Principles Of Biochemistry- 6th edition. Nelson,David L.

Já conhece nosso canal no YouTube? Dá uma olhada lá!  Sempre coloco vídeos atualizados sobre saúde, longevidade e alimentação saudável. Separei esse aqui pra você ver:

Dr. Carlos Teotônio

Médico

Nutrologia Clínica

Medicina Natural

Estudioso da Alimentação Saudável e Medicina do Estilo de Vida

Certificado em Plant-Based Nutrition pela Cornell University

Compartilha com seus amigos pra ajudar o maior número de pessoas possível com essas novidades naturais e saudáveis. Basta clicar abaixo nos ícones das redes sociais. Abraços!

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Últimos

Emoções e saúde

A pesquisa mind-body research (mente-corpo) do Instituto Nacional de Saúde (NIH nos Estados unidos) é apenas uma das muitas que identificaram a conexão entre a

ASSISTIR »
Assinar blog por e-mail

Receba notificações de novas publicações por e-mail!

Junte-se a 34 outros assinantes

Fechar Menu
×

Carrinho